LABELS WERE MADE FOR PRODUCTS, NOT FOR PEOPLE!

Atualmente, o cuidado com a alimentação é uma preocupação crescente por parte da população portuguesa e, tem-se tornado até uma “moda” ser fitness. Para muitos, a adoção deste estilo de vida não é um sacrifício, mas sim um hábito.

Muitas pessoas são enganadas por rótulos atrativos como “magro”, “integral”, “0% de matéria gorda”, no entanto, muitos desses produtos contêm açúcares e outros conservantes. É importante também realçar que deve adotar uma dieta saudável, mas não entrar em obsessão. Quando der por si, todos os alimentos que imaginava serem pouco calóricos, são na verdade muito, o que pensava ser bom é na realidade mau, o “natural” é afinal uma armadilha e até a água parece engordar.

Escolher alimentos não é fácil e implica muitas escolhas, por isso saber ler rótulos é muito importante para tomar as melhores decisões. O Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável da Direção-Geral da Saúde sugere um descodificador de rótulos, que consiste num cartão que pode ser facilmente transportado e consultado no momento de ir às compras.
A informação contida tem por base as recomendações do Departamento da Saúde/Ministério da Saúde do Reino Unido. Compare a informação constante no rótulo do alimento ou bebida por 100g ou 100ml, respetivamente, com a informação disponibilizada neste cartão (gordura, gordura saturada, açúcares e sal).

Propõe-se que opte por alimentos e bebidas com nutrientes maioritariamente na categoria verde, modere aqueles com um ou mais nutrientes na categoria amarela e evite aqueles com um ou mais nutrientes na categoria vermelha.

      

A isto, acresce o problema de não se saber equilibrar uma dieta. Práticas como saltar refeições, fazer jejuns, consumir mais calorias do que o ideal ou não desgastar o necessário são os principais inimigos das alimentações saudáveis. Daí que muitas pessoas que começam a treinar, ao invés de perderem peso, ganham calorias.
Não faltam sites, blogues, artigos e posts, com opiniões variadíssimas sobre alimentos, dicas e receitas para ajudar as pessoas. Algumas das dicas mais importantes passam por hidratar constantemente, ingerindo no mínimo 1,5l de água diariamente; fazer 3 refeições diárias com lanches intermediários; comer devagar; preferir frutas e legumes; diminuir a quantidade de sal ingerida; estipular um horário de rotina de alimentação.

Cuidado com os sumos de fruta, têm muita frutose! Algumas das dicas mais comuns passam por optar por comer antes peças de fruta que têm mais fibra; alterar os temperos da salada, diminuindo a quantidade de azeite e, se possível, temperar apenas com um pouco de sal e limão; tente cortar o açúcar no café; evite beber mais de 200ml de água durante as refeições, abusando na sua toma fora de refeições; e tome bebidas quentes, que causam maior saciedade (chá, por exemplo).

De fato temos de ser mais conscientes a ler os rótulos e a tomar conta do nosso corpo. O açúcar é o veneno do século XXI e está mascarado em muitos alimentos com outros nomes (xarope de milho, maltose, glicose, sacarose, dextrose e frutose). E se não ingeríssemos açúcar refinado, nem outros substitutos, durante 7 dias? Aceita o nosso desafio? O açúcar é aditivo mas garantimos que se aceitar o nosso desafio vai sentir um aumento da tua energia, dormir melhor e os seus intestinos vão funcionar a todo o vapor.
A alimentação saudável não é importante só pelo alcance da silhueta desejada, mas porque, para além de prevenir inúmeras doenças, melhora a sua autoestima, o seu humor e promove o equilíbrio hormonal! Está à espera de quê para revolucionar a sua despensa e para aceitar o nosso desafio? Comece agora 😉